O que é Laringite?

Laringite é uma inflamação da laringe que faz com que a sua voz fique áspera ou rouca. A laringite pode ser de curto prazo ou de longa duração (crônica). Na maioria das vezes, ela surge rapidamente e dura não mais de duas semanas.

Laringite

Sintomas crônicos são aqueles que duram duas semanas ou mais. Por isso, marque uma consulta médica se os sintomas persistirem por mais tempo. Nesses casos, a laringite pode ser causada por problemas mais graves.

Causas

Dentro da laringe há as cordas vocais – duas dobras da membrana mucosa que cobrem um músculo chamado músculo vocal. Normalmente, suas cordas vocais abrem e fecham suavemente, formando sons através de seu movimento e vibração.

Anatomia da laringe

Mas na laringite, suas cordas vocais ficam inflamadas ou irritadas. Ocorre um inchaço, que leva à distorção dos sons produzidos pelo ar que passa sobre elas. Como resultado, sua voz soa rouca. Em alguns casos de laringite, sua voz pode se tornar quase indetectável. A maioria dos casos de laringite é desencadeada por infecção viral temporária ou esforço vocal e não são graves.

Diferença entre a laringe normal e com laringite

 

Laringite Aguda

A maioria dos casos de laringite é temporária, ou aguda. Causas de laringite aguda incluem:

  • Infecções virais semelhantes às que causam resfriado
  • Esforço vocal, causada por uso excessivo da voz
  • Infecções bacterianas, como a difteria, embora seja raro.

Laringite Crônica

Laringite que dura mais de duas semanas é conhecida como laringite crônica. Este tipo de laringite é geralmente causado pela exposição a substâncias irritantes ao longo do tempo. Laringite crônica pode causar tensão das cordas vocais e lesões ou tumores na corda vocal (pólipos ou nódulos). Estas lesões podem ser causadas por:

  • Irritantes inalatórios, como a vapores químicos, alérgenos ou fumaça
  • Doença do refluxo gastroesofágico (DRGE)
  • Sinusite crônica
  • Uso excessivo de álcool
  • Uso excessivo habitual de sua voz (como no caso de cantores ou professores)
  • Fumar

Causas menos comuns de laringite crônica incluem:

  • Infecções bacterianas ou fúngicas
  • Infecções por certos parasitas.

Outras causas de rouquidão crônica incluem:

  • Câncer
  • Paralisia das cordas vocais, o que pode resultar de lesão, AVC, um tumor pulmonar ou outras condições de saúde
  • Aumento da curvatura das cordas vocais na terceira idade.

Fatores de risco

Fatores de risco para laringite incluem:

Laringite Subglótica

  • Ter uma infecção respiratória, como resfriado, bronquite ou sinusite
  • Exposição a substâncias irritantes, como fumaça de cigarro, consumo excessivo de álcool, excesso de ácido do estômago ou produtos químicos no local de trabalho
  • Usar excessivamente a voz, falando demais, falando muito alto, gritar ou cantar.

Sintomas de Laringite

O principal sintoma da laringite é a rouquidão. Sua voz pode soar estridente, ser mais profundado que o normal ou quebrar de vez em quando. Em alguns casos, você pode perder sua voz completamente. Outros sintomas podem incluir:

  • Garganta seca ou inflamada
  • Tosse
  • Dificuldade para engolir

Buscando ajuda médica –  diagnóstico e exames

Você pode gerenciar os casos mais agudos da laringite por etapas de autoatendimento, como descansando sua voz e bebendo muitos líquidos. O uso extenuante da sua voz durante o episódio de laringite aguda pode prejudicar suas cordas vocais.

Marque uma consulta médica se a rouquidão durar mais de duas semanas. Procure imediatamente um médico se o seu filho:

  • Tem uma respiração ruidosa, estridente, que soa ao inalar
  • Baba mais do que o habitual
  • Tem dificuldade em engolir
  • Tem dificuldade em respirar
  • Tem uma febre superior 39°C.

Esses sintomas podem indicar uma inflamação da laringe e das vias aéreas logo abaixo. Pode indicar também epiglotite, uma inflamação da epiglote, tecido cartilaginoso que fecha a via aérea durante a deglutição.

Na consulta médica

Especialistas que podem diagnosticar laringite são:

  • Clínico geral
  • Pediatra
  • Otorrinolaringologista.

Estar preparado para a consulta pode facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo. Dessa forma, você já pode chegar à consulta com algumas informações:

  • Uma lista com todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram
  • Histórico médico, incluindo outras condições que o paciente tenha e medicamentos ou suplementos que ele tome com regularidade
  • Se possível, peça para uma pessoa te acompanhar.

O médico provavelmente fará uma série de perguntas, tais como:

  • Quando os sintomas começaram?
  • Os sintomas são contínuos ou ocasionais?
  • Quão grave são os sintomas?
  • O que, se alguma coisa, parece melhorar os sintomas?
  • O que, se alguma coisa, parece piorar os sintomas?
  • Você fuma?
  • Você ou seu filho tem alergias? Houve um resfriado recentemente?
  • Há um excesso de esforço das cordas vocais, como falar gritando ou o tempo inteiro?

Também é importante levar suas dúvidas para a consulta por escrito, começando pela mais importante. Isso garante que você conseguirá respostas para todas as perguntas relevantes antes da consulta acabar. Para laringite, algumas perguntas básicas incluem:

  • O que está causando os sintomas?
  • Que exames eu preciso?
  • A condição provavelmente é temporária ou crônica?
  • Qual é o melhor tratamento?
  • Quais são as alternativas para a abordagem primária que você está sugerindo?
  • Eu tenho/meu ente querido tem outras condições de saúde. Como é possível gerenciá-las juntas?
  • É necessário fazer alguma restrição?
  • Existe uma alternativa genérica para o medicamento que você está prescrevendo?
  • Há algum material impresso que eu posso levar para casa? Quais sites você recomenda?

Não hesite em fazer outras perguntas, caso elas ocorram no momento da consulta.

Diagnóstico de Laringite

Laringite

O médico ou médica pode identificar laringite fazendo um exame físico que provavelmente incluirá sentir o pescoço do paciente, afim de encontrar áreas sensíveis ou caroços. Também será avaliado o nariz, boca e garganta.

Se você tiver problemas de voz e rouquidão que não têm uma causa óbvia e que duram mais de duas semanas, o médico pode encaminhá-lo a um especialista (otorrinolaringologista). A aparência de suas cordas vocais e o som de sua voz vai ajudar o especialista descobrir se a laringite vai embora por conta própria ou se você precisa de tratamento.

Além disso, um otorrinolaringologista pode realizar esses exames:

  • Videolaringoscopia, no qual uma câmera filma a laringe e podese detectar a laringite ou outras alterações como nódulos, pólipos ou até tumores em fase inicial
  • Biópsia.

Tratamento de Laringite

O tratamento em casa é tudo o que você precisa para maioria dos casos de laringite. Entre as recomendações estão:

  • Descansar a voz tanto quanto possível. O paciente deve falar baixo e pausadamente, evitando sussurrar. Falar ao telefone ou em voz em alta também deve ser evitado
  • Não pigarrear. Se há tosse seca, um medicamento de venda livre pode ajudar
  • Mantenha o ambiente úmido com vaporizadores ou bacias d’água
  • Beba muito líquido. Isso ajuda a irrigar as cordas vocais, evitando forçá-las e ajudando na recuperação
  • Não fume e mantenha o paciente longe do fumo passivo.

Em alguns casos podem ser receitados medicamentos, como corticosteroides e antibióticos. Converse com seu médico ou médica sobre essa possibilidade.

Se a doença do refluxo gastroesofágico está causando a laringite, pode ser necessário tomar medidas para reduzir o refluxo.

Laringite crônica pode precisar de mais tratamento. Por exemplo, se a doença acontece pelo uso contínuo da voz (como cantar ou falar muito),pode ser necessário o treinamento de fala.

Caso as cordas vocais tenham sido danificadas por feridas ou pólipos, pode ser necessária uma cirurgia.

Medicamentos para Laringite

Os medicamentos mais usados para o tratamento de laringite são:

  • Antux
  • Azitromicina
  • Bi Profenid
  • Broncho-Vaxom
  • Cefalexina
  • Ceftriaxona Dissódica
  • Ceftriaxona Sódica
  • Cetoprofeno
  • Doxiciclina
  • Eritromicina
  • Flanax
  • Ibuprofeno
  • Nimesulida
  • Paracetamol

Somente um médico pode dizer qual o medicamento mais indicado para o seu caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre à risca as orientações do seu médico e NUNCA se automedique. Não interrompa o uso do medicamento sem consultar um médico antes e, se tomá-lo mais de uma vez ou em quantidades muito maiores do que a prescrita, siga as instruções na bula.

Complicações possíveis

Se a laringite começou por conta de uma infecção, a falta de tratamento pode fazer com que esse vírus, bactéria ou fungo se espalhe para outros órgãos do trato respiratório.

Além disso, uma laringite causada por excesso de uso da voz pode se tornar crônica com o passar do tempo.

Prevenção

Para prevenir o ressecamento ou irritação para suas cordas vocais:

  • Não fumar e evitar o fumo passivo. A fumaça pode secar a garganta e irritar as cordas vocais
  • Limite o consumo de álcool e cafeína, uma vez que essas bebidas podem causar desidratação, ressecando as cordas vocais
  • Beba muita água. Fluidos ajudam a manter o muco na garganta fino e fácil de limpar
  • Evite limpar sua garganta. Isso faz mais mal do que bem, porque provoca uma vibração anormal de suas cordas vocais e pode aumentar o inchaço. Limpando a garganta, também faz com que sua garganta a secretar mais muco e se sentir mais irritado, fazendo com que você quer limpar a garganta novamente
  • Evite infecções das vias respiratórias superiores. Lave as mãos frequentemente e evitar o contato com pessoas que têm infecções respiratórias, como resfriados.

*************************************************************************************************

Fan Page no Facebook

Para ajudar em sua pesquisa e consulta em Fonoaudiologia criamos uma Fan Page no Facebook. Nesta página, publicações serão expostas e comentadas em Educação Continuada, podendo estreitar perguntas e respostas e ainda tirar as muitas dúvidas de sua terapia fonoaudiológica. Venha participar você também!

Curta: https://www.facebook.com/fonoaudiologiaericasitta

*************************************************************************************************

 

Bibliografia

Revisado por: Bruno Loredo, otorrinolaringologista do Hospital Santa Luzia, em Brasília – CRM DF 19501

Associação Brasileira de Otorrinolaringologia

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s