Você sabe o que é Eletroestimulação e como funciona?

A eletroestimulação (TENS) é o ato de produzir um estímulo, com a finalidade de aumentar a função orgânica ou a resposta de um determinado tecido.

O que ocorre na eletroestimulação em linhas gerais?

Eletroestimulação

O chamado efeito de indução. A corrente passa no nervo motor e este vai estimular o músculo, o qual possui vários tipos de fibras. Em cada músculo predomina um tipo de fibra, apesar dos músculos esqueléticos de um modo geral apresentarem todos os tipos de fibras.

A TENS age sobre as fibras nervosas aferentes como um estímulo diferencial que “concorre” com a transmissão do impulso doloroso. Favorece a ativação as células da substância gelatinosa, promovendo uma modulação inibitória segmentar. No sistema nervoso central (SNC), estimula a liberação de endorfinas, endomorfinas e encefalinas, através da ativação do Sistema Analgésico Central (SAC), resultando numa diminuição ou bloqueio da percepção central à dor, no aumento do fluxo sanguíneo e redução da fadiga muscular pela remoção de dendritos e o aumento no aporte de oxigênio devido a capacidade de recrutamento de 25% do capilar sanguíneo.

Sistema Modulador da Dor

 Quais os tipos de intensidade usados como estímulos ?

A TENS trabalha com quatro níveis de intensidades de estímulos: subsensório, sensório, motor, nociceptivo:

  • O nível subsensório da TENS utiliza um período da carga elétrica de amplitude insuficiente para alcançar o limiar sensório e despolarizar os axônios dos nervos periféricos ou despolarizar a membrana muscular.
  • O nível sensório é definido como a estimulação em ou acima do limiar sensitivo e abaixo do limiar motor e é primeiramente indicado para dor aguda e subaguda, mas também tem utilidade em condições crônicas.
  • O nível motor de estimulação é usado primariamente para controle de dor crônica. A amplitude da TENS é alta e o suficiente para produzir contração muscular visível.
  • O nível nociceptivo ao qual veremos mais profundamente em outro post.

Como usar a TENS?

TENS, aplicada na periferia, ou seja, no local da lesão, ativa as fibras aferentes primárias. Essa informação é transmitida para a medula espinhal e o resultado é a inibição tanto no local como nas vias descendentes inibitórias, medula ventromedial rostral (RVM); envolve 5-HT opioides, que podem ser ativados pela substância cinzenta periaquedutal.

Eletroestimulação

Estudos anteriores mostram que os receptores opioides na medula espinal e RVM e receptores serotoninérgicos, muscarínicos na medula espinhal, mediam a redução da hiperalgesia pela TENS.

Quais os seus efeitos?

Quando os impulsos são gerados com uma modulação de frequência alta e largura relativamente estreita, é chamada de TENS convencional que produz parestesia leve para moderada sem contração muscular através da área de tratamento. Este estímulo é benéfico para síndromes de dor aguda. O inconveniente da TENS convencional é a acomodação neural. O nervo se torna menos excitável com a estimulação repetida.

Liberação de Endorfina

Quando os impulsos são gerados em baixa velocidade com a largura do pulso relativamente ampla, é chamada TENS de modulação de baixa frequência produzindo abalos musculares rítmicos na área de tratamento sem a percepção de parestesia. É benéfica para síndromes de dor crônica. A modulação do estímulo frequentemente aumenta o conforto.

TENS - Baixa Frequência

A estimulação usando impulsos modulados em alta frequência e pulsos largos é chamada breve-intensa caracterizada por diminuir a velocidade de condução das fibras A-delta e C, produzindo um bloqueio periférico para a transmissão. A TENS breve-intensa clinicamente faz uma massagem por fricção, pode ser usada para mobilização articular e outros procedimentos dolorosos.

Existe efeitos colaterais em seu uso? 

A TENS não possui efeitos sistêmicos, não causa dependência, não promove degeneração celular, nem gera efeitos colaterais. A TENS apresenta forma de pulso bifásico, assimétrico, balanceado. Os pulsos para relaxamento ou analgesia, são na forma de ondas retangulares, produzindo uma resultante vibratória variável. Pode ser utilizada como corrente de curto período com efeito analgésico e estimulante do trofismo.

 Texto produzido por

Bruno Guimarães: https://www.facebook.com/bruno.guimaraes.982

 

Bibliografia

Guimarães, BTL. Relaxamento Laríngeo com o uso da eletroestimulação nervosa transcutânea (TENS). Um estudo comparativo. Revista do CFFa. V1. N1. Pag. 20-28. 2001.

LOW, J.; REED, A. Eletroterapia explicada. 1. Ed. São Paulo: Manole, 2001.

Salgado ASI. Eletrofisioterapia: manual clínico. Porto Alegre: Artmed; 2001.

IMAGENS: Acervo pessoal de Bruno Guimarães

*************************************************************************************************

Fan Page no Facebook

Para ajudar em sua pesquisa e consulta em Fonoaudiologia criamos uma Fan Page no Facebook. Nesta página, publicações serão expostas e comentadas em Educação Continuada, podendo estreitar perguntas e respostas e ainda tirar as muitas dúvidas de sua terapia fonoaudiológica. Venha participar você também!

Curta: https://www.facebook.com/fonoaudiologiaericasitta

*************************************************************************************************

 

3 respostas em “Você sabe o que é Eletroestimulação e como funciona?

  1. Gostaria de fazer um curso e/ou comprar o aparelho, sou fonoaudiologa e trabalho com disfagia no Home Care

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s