Funcionamento mastigatório

O processo de degradação do alimento ocorre em três etapas da mastigação: incisão (corte), trituração (quebra em partículas menores) e pulverização (minimização destas partículas). Tem-se conhecimento que, na mastigação, as características das fases de trituração e pulverização se modificam bastante, de acordo com a textura e a natureza dos alimentos (DOUGLAS, 1994).

Os ciclos mastigatórios executam uma atividade rítmica representada pelos movimentos de abaixamento e elevação da mandíbula. A fase de abertura lenta antecede a mordida do alimento, seguida pelo fechamento rápido, havendo contração muscular isotônica (BERRETIN-FÉLIX, TRINDADE JR, 2011). Durante a mastigação, os movimentos devem ter força e ser simétricos.

O momento com que o alimento é mastigado representa a contração isométrica dos músculos elevadores da mandíbula (BERRETIN-FÉLIX, TRINDADE JR, 2011) podendo existir ciclos diferenciados entre si.

O padrão mastigatório deve-se apresentar como bilateral alternado, ou seja, deve haver uma alternância entre os lados mastigatórios e na realização de rotações mandibulares. Esta alternância é importante para que ocorra um desgaste simétrico dos dentes e estimulação correta das articulações temporomandibulares (TASCA, 2002).

A duração e frequência do ciclo mastigatório variam de acordo com o tipo e consistência do alimento, bem como estão relacionadas com a qualidade neuro-muscular e com o tipo facial do indivíduo (DUARTE, 2000). Proffit (1995) e Bianchini (1995) concordam que nos indivíduos com face curta (crescimento predominantemente horizontal) observa-se maior vigor, potência e força durante a mastigação, todavia, nos indivíduos com face longa (crescimento predominantemente vertical) nota-se uma mastigação com menor força de mordida e potência.

Fan Page no Facebook

Para ajudar em sua pesquisa e consulta em Fonoaudiologia criamos uma Fan Page no Facebook. Nesta página, publicações serão expostas e comentadas em Educação Continuada, podendo estreitar perguntas e respostas e ainda tirar as muitas dúvidas de sua terapia fonoaudiológica. Venha participar você também!

Curta: https://www.facebook.com/fonoaudiologiaericasitta .

Bibliografia

Douglas CR. Fisiologia da Deglutição. In. Douglas CR.Tratado de fisiologia aplicada às ciências da saúde. São Paulo: Pancast; 1994. p. 895-990.

Berretin-Felix G, Trindade Jr AS, Alves TCNV. Anatomofisiologia do sistema estomatognático e suas aplicações clínicas. In: Silva ACPSC, Santos-Coluchi GG, Souza LBR, organizadores. Ortodontia e fonoaudiologia na prática clínica. 1 ed. Rio de Janeiro: Revinter; 2011. p. 191-216.

Tasca EMT. Programa de aprimoramento muscular em fonoaudiologia estética facial (PAMFEF). Barueri: Pró-Fono; 2002.

Duarte LIM. Relação entre maloclusão e mastigação [monografia]. Londrina (PR): Centro de Especializaçãoem Fonoaudiologia ClínicaMotricidadeOral; 2000.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s